O perigo da gordura na alimentação.

Comer alimentos gordurosos com frequência pode trazer um grande perigo para a saúde. Além do risco de doenças cardiovasculares, o excesso pode causar problemas nas artérias, no cérebro e provocar doenças como diabetes e obesidade. É necessário ter uma dieta saudável para que a qualidade de vida seja garantida.


É preciso ter cuidado com o aumento de gordura no sangue, as altas taxas de colesterol ruim e de triglicerídeos. O níveis elevados podem causar infarto, derrame cerebral, entre doenças cardiovasculares.


A gordura dá sabor aos alimentos, mas, em contrapartida, fornece mais que o dobro de calorias que os carboidratos e as proteínas e pode gerar um sobrepeso nada desejável nem recomendado às pessoas.


A gordura contida nos alimentos industrializados se acumula na circulação sanguínea e, com o passar do tempo, formam-se placas de gorduras chamadas de placas de ateroma, que provocam o aparecimento de altas taxas de colesterol, hipertensão arterial, aterosclerose, entre diversas outras doenças. Já se pode verificar as conseqüências percebendo a quantidade de crianças e adolescentes que sofrem de hipertensão e/ou altas taxas de colesterol (chamado de hipercolesterolemia), doenças que, há alguns anos, eram típicas de idosos, mas agora são facilmente vistas na garotada. Medir a pressão arterial, por exemplo, não fazia parte da rotina nos consultórios de pediatras. Contudo, hoje faz parte dos protocolos de atendimento de crianças e jovens. Então, vamos tomar cuidado no consumo exagerado de comidas muito gordurosas e não vamos nos deixar influenciar pela mídia no consumo de alimentos.


  • Gorduras saturadas: são as gorduras de origem animal. São consideradas as gorduras ruins para o nosso organismo. São responsáveis por elevar o colesterol LDL que podem levar aos problemas cardíacos. Então, sempre que pensamos em um animal, temos que saber que sua gordura é ruim para a nossa saúde.

  • Gorduras insaturadas: são as gorduras de origem vegetal. São consideradas gorduras boas para a saúde. Óleo de linhaça, azeite, óleos vegetais, abacate, castanhas e nozes são exemplos de gorduras boas. Elas colaboram com o aumento do nosso colesterol bom (HDL). Esse tipo de gordura não deposita-se somente na região da barriga e ainda colaboram com o nosso coração.

  • Gorduras Trans: É uma modificação industrial das gorduras boas transformando-as em gorduras horríveis para a saúde. Além de aumentar a taxa do colesterol ruim (LDL), diminui as taxas do colesterol bom (HDL). Achamos esse tipo de gordura nas bolachas doces, biscoitos salgados, pães doces, sorvetes, gorduras hidrogenadas, chocolates hidrogenados, etc. Sempre precisamos escolher os alimentos que vêm escritos livres de gorduras Trans nas embalagens. Entretanto, lembre-se que apesar do alimento ser livre de gordura trans, não siginifica que pode ser consumido em excesso. Uma coisa não tem nada a ver com a outra. E também devemos lembrar que esses alimentos estão livres de gorduras Trans apenas na porção indicada na embalagem.

Destaques
Arquivos

Blog